Cidades Ilhabela Notícias

Temporada de Baleias e Golfinhos encerra com número recorde de registros de jubartes

Foto: Projeto Baleia à Vista/Julio Cardoso

Neste ano tivemos recorde de baleias-jubartes em Ilhabela. De acordo com o Projeto Baleia à Vista, foram 125 registros até o final de setembro, número 50% maior que em 2020.

O ponto alto da temporada das jubartes em Ilhabela costuma ser entre maio e agosto, período em que estes grandes mamíferos estão passando por aqui, percorrendo cerca de 5 mil km desde a região subantártica (onde se alimentam) até a Bahia (onde se reproduzem).

Na temporada 2021 as primeiras baleias se adiantaram e chegaram em abril, em maio já era relativamente frequente o show de saltos no Canal de São Sebastião e em setembro ainda era possível se deparar com alguns destes seres fantásticos ao longo de nossa costa.

Para a secretária de Desenvolvimento Econômico e do Turismo, Luciane Leite, tivemos a melhor de todas as temporadas de baleias e golfinhos, não somente pela presença em massa das jubartes, mas pelo trabalho de estruturação do Turismo de Observação de Cetáceos, com ações focadas em educação ambiental, conscientização sobre a segurança no avistamento, qualificação do trade turístico e promoção turística.

“Tudo isso foi possível graças ao trabalho em conjunto com empresários, prestadores de serviço, Projeto Baleia à Vista e Viva Instituto Verde Azul. Foram feitos webinars com informações a respeito da biologia, hábitos e regras de aproximação para marinas, marinheiros, proprietários de embarcações e trade turístico. Trouxemos também a Tauassú e o Instituto Baleia Jubarte, grandes especialistas em turismo de observação de baleias que atuam na Bahia há 30 anos, para treinar nossos guias e agências de receptivo por meio de aulas teóricas e saídas embarcadas, afim de qualifica-los e formatar melhor este novo produto”, destaca.

No que diz respeito à educação ambiental, foram realizadas palestras para diretoras e professores da rede pública de ensino, para que possam trabalhar esta temática junto aos alunos. Em relação à conscientização e divulgação de regras de avistagem, foram distribuídos 2.000 adesivos e cartazes para distribuição junto ao público das marinas, além de vídeo para trabalhar nas redes sociais e WhatsApp. Foi criada ainda a Rede Baleia Caiçara, iniciativa que visa a integração entre pesquisadores, poder público e pescadores, com foco na observação, troca de informações e fomento socioeconômico.

A promoção foi trabalhada com a criação do guia de bolso Baleias e Golfinhos de Ilhabela, com as principais informações sobre as espécies de cetáceos que ocorrem aqui e os hotspots de observação destes mamíferos. Ao todo já foram distribuídos mais de 5 mil guias. Também foi realizada a exposição fotográfica com todas as espécies de baleias e golfinhos que ocorrem no arquipélago, que ficou aberta entre junho e setembro, com grande sucesso de público: 6.490 visitantes. Este produto também foi divulgado em painéis de rua, espalhados pelas principais vias da cidade, de norte a sul, a fim de estimular que as pessoas pudessem viver esta nova experiência por meio da contratação de passeios.

Para o prefeito Toninho Colucci, todo o trabalho realizado foi fundamental para estruturar e aproveitar este verdadeiro presente da natureza. “Posso afirmar com toda a convicção, não tem nada igual sendo feito na região, por isso Ilhabela é a capital da observação de baleias e golfinhos no Estado de São Paulo e um dos principais destinos do país neste segmento”.

É sempre importante lembrar que Ilhabela se destaca pela diversidade de vida marinha, sendo quatro espécies de baleias e sete de golfinhos. Embora a baleia-jubarte seja migratória, boa parte dos golfinhos e a baleia-tropical podem ser avistados durante todo o ano.

Fonte: Prefeitura de Ilhabela