São Sebastião Saúde

São Sebastião faz campanha para doação de sangue

A Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria de Saúde (SESAU), está promovendo uma campanha para conseguir doadores de sangue para o Hemocentro de Taubaté – principal fornecedor de sangue do município.

De acordo com a SESAU, o interessado deve procurar uma unidade de saúde do município para se cadastrar. O procedimento também pode ser feito pelo telefone da Secretaria, no 3891-3409.

Quando a campanha chegar a um número de doadores satisfatório, a segunda etapa da ação será o agendamento para a ida dos doadores ao hemocentro.

Por que doar?

Doar sangue é um ato altruísta, de solidariedade e 100% voluntário. Uma doação pode beneficiar até quatro pessoas. O sangue é essencial para os atendimentos de urgência, realização de cirurgias de grande porte e tratamento de pessoas com doenças crônicas, além de doenças oncológicas variadas que, frequentemente, necessitam de transfusão.

Os interessados em doar sangue devem ter entre 16 e 69 anos, sendo que a primeira doação deve ter sido feita até os 60 anos. Além disso, é necessário que o doador tenha mais de 50kg, esteja em boas condições de saúde e estar alimentado, porém, não tendo consumido alimentos gordurosos pelo menos três horas antes.

Hemocentro

O Hemocentro de Taubaté, que fornece sangue para cidades do Vale e Litoral Norte, enfrentou dificuldades no ano passado, quando esteve com estoque crítico de bolsas de sangue e precisava de doadores, em especial os portadores do sangue tipo A+, O+.

O baixo estoque dos dois tipos sanguíneos ocorreu devido a alta de doares. Na ocasião, o Hemocentro informou que a meta era coletar 1.600 bolsas de sangue por mês, mas o centro coletava em média 1.000 bolsas mensalmente – cerca de 62,5% da meta estipulada. Segundo o Hemocentro,  apenas 2% da população tem o hábito de fazer doação.

O Hemocentro justifica que a doação de sangue é importante pois o sangue é insubstituível. E explica que o sangue é imprescindível e não pode ser substituído por outro produto. Não pode ser comprado e, portanto, depende da solidariedade das pessoas.