Litoral Norte Turismo

Prefeituras querem restringir ainda mais o turismo de um dia

O Consórcio Intermunicipal Turístico Circuito Litoral Norte reuniu representantes das Secretarias de Turismo das cidades de Ilhabela, São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba, nesta quarta(23), para debater medidas de melhoria para o setor.

Turistas de um dia aguardam o ônibus na praia Martim de Sá, em Caraguá

Com o intuito de coibir o turismo de um dia, os representantes do consórcio planejaram ações para promover o turismo de qualidade. Uma das medidas que já estão sendo colocadas em prática pelos municípios é a fiscalização dos ônibus de turismo, bem como o aumento significativo das taxas e a quantidade desses veículos que adentram o litoral.

Outro assunto discutido foram as ações entre a divisa do continente e o arquipélago. A Administração de Ilhabela solicitou a colaboração efetiva da Prefeitura de São Sebastião para proibir o acesso da área do centro e região portuária, aumentar a taxa de estacionamento e destinar os ônibus turísticos para o balneário dos trabalhadores, na Praia Grande.

“Esses ônibus não entram em Ilhabela, pois não têm permissão da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Turismo, então as pessoas descem e atravessam a pé. Solicitamos a colaboração de São Sebastião para dificultar e encarecer esse tipo de turismo”, afirma o secretário Ricardo Fazzini.

“Esse segmento aumentou com a facilidade das vendas de passeios pela internet, sendo alguns deles predatórios. Por isso precisamos de ações para regulamentar o setor para ter qualidade no turismo da região”, explica o secretário executivo do Conselho, Gustavo Carvalho.

O órgão, criado no ano passado, foi formalizado como pessoa jurídica e possui convênio com o Ministério do Turismo para investimentos no Litoral Norte. Um dos planejamentos do Consórcio é criar um observatório para controlar o público que frequenta as cidades.

O prefeito de Ilhabela, Márcio Tenório, que é presidente do Conselho Administrativo, já oficiou a Prefeitura de São Sebastião requerendo as mudanças que irão fortalecer o setor em todo o Litoral Norte. “Essas ações solicitadas irão contribuir para a qualidade do turismo em Ilhabela”, conclui Tenório.

Turismo

Na década de 80, o governo do estado estimulou o turismo de um dia, implantando terminais turísticos em Ubatuba, Caraguá e São Sebastião. Eram locais apropriados para receber os ônibus com turistas e ofereciam boa estrutura como sanitários, vestiários, banheiros, lanchonetes e estacionamento gratuito para os veículos.

Atualmente, funcionam os terminais de Ubatuba e de São Sebastião, mas cobram taxas elevadas e reduziram o número de ônibus que podem entrar nessas cidades. Em Caraguá, o ex-prefeito Antônio Carlos desativou o terminal e construiu uma praça de eventos no local.

Na década de 80, o turismo de um dia fortalecia o comércio, principalmente, estabelecido na orla, ao longo do ano todo. Ubatuba e Caraguá chegavam a receber mais de 200 ônibus por domingo para alegria de quiosqueiros e ambulantes.

Hoje, as prefeituras “fecham suas portas” ao turismo de um dia. Aumentaram o valor das taxas e estão obrigando o turista de um dia até a pagar para frequentar as praias.

 

 

 

 

6 Comentários

  • Eu acho um absurdo oque estão fazendo quer dizer que o “pobre” não tem direto de frequentar nem 1 dia de praia pra isso fere a constituição tira do cidadão trabalhador seu direito de ir e vir ter um lazer a menos 1 dia vcs acham que eles ficam o dia td na praia e não consomem nada mesmo quem leva alguma coisa sempre acaba consumindo uma porção um sorvete eu acho um absurdo oque estão fazendo uma vergonha as praias são publicas e alendo mais se não vão de ônibus ou de van as cidades irá receber mais carros será que o trânsito permite 1 van tira o lugar de no mínimo 4 carros um ônibus de uns 10 carros fora que alguns vão beber e dirigir ocasionando mais acidentes gente vamos pensar as vans e os ônibus tinham que ter prioridade isso sim

    • Alex, os pobres e mesmo os ricos têm sim o direito ir à praia nem que seja um único dia. Está na constituição…
      Consta também que se deve ter respeito ao próximo. O Direito das pessoas termina once começa o respeito ao próximo.
      Muitos desses turistas de um dia só fazem turismo predatório. Não gastam nada na cidade, deixam as praias sujas jogando latas e garrafas na areia e nas ruas. Claro que não podemos generalizar, mas não raro invadem casas de veraneio para tomar banho ou usar o banheiro e até roubam. Na prias fazem muito barulho que incomoda quem ali vive.
      Muitos exageram na bebida, urinam na praias, e já vi até sair brigas e arruaças entre eles…
      Depois retornam para suas casas distantes e largam ali um rastro de sujeira e um cheiro forte de urina que se espalha com a brisa do mar.

  • Há um erro quando a reportagem diz “Na década de 80, o governo do estado ESTIMULOU o turismo de um dia, implantando terminais turísticos…”.
    Este tipo de turismo nunca foi incentivado, mas TOLERADO.
    Já tive casa de veraneio no litoral e esses Ônibus eram um enorme transtrono. Antes das 5h da manhã dezenas ou centenas de ônibus de turismo provenientes de tudo que é canto do Brasil paravam junto à praia, e deles surgia uma multidão fazendo batucada, batendo pratos, pisoteando gramados e jardins, sujando a praia.
    Não raro depois de passar o dia “enchendo a cara de cerveja barata” e jogando as latas e garrafas na areia, ainda invadiam casas de veraneio que estavam desocupadas para tomar banho e até usar banheiro antes de ir embora… muitos aproveitavam para roubar algo que estivesse ao alcance… Bêbados urinavam na praia…
    No final do dia, de fato iam embora deixando um rastro de sujeira, cheiro de urina que se espalha com a brisa do mar, etc. Afinal, não voltariam mais ali, e quem mora ou fica que se dane.
    Óbviamente, havia muitas reclamações de quem mora na cidade ou tem casa de veraneio, gente que paga IPTU e consome localmente e acaba arcando com as despesas da limpeza e conservação da cidade.
    Foi então que algumas prefeituras construíram terminais de ônibus e proibiram os ônibus de pararem fora dos terminais. Enãt nào foi incentivado, mas foi uma alternativa para tentar contronar o problema.
    Este tipo de turismo é predatório: turista que traz até comidas de casa, não gasta nem compra nada na cidade, e só deixa sujeira.

  • O Brasil padece da falta de algo que se chama EDUCAÇÂO e RESPEITO ao próximo.
    Criaram Estatutos para tudo… Quando bastava valer o que está na Constituição: O SOMOS TODOS IGUAIS!
    Quem é porco na praia, é porco em qualquer lugar.
    Tudo questão de Ausência de Educação.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.