Carnaval 2019 Ilhabela

Exposição em Ilhabela resgata uma das mais antigas tradições carnavalescas do litoral

Ilhabela está com uma exposição de carnaval muito legal. Trata-se da Exposição “O Banho da Dorotéia”, que acontece no Centro Cultural da Vila.

O Banho da Dorotéia é uma das mais antigas manifestações carnavalescas do Litoral Norte, que com o passar dos anos foi sendo abandonada.

No  Banho da Dorotéia, os moradores se fantasiam de papel crepom, desfilam pelas ruas centrais e depois entram no mar, que fica colorido, devido a tinta que saí do papel crepom.

Essa tradição carnavalesca era comum na maioria das cidades da região, atualmente, sobrevive apenas em Ilhabela.

A exposição foi aberta na última quarta, pelo prefeito Márcio Tenório, acompanhando pelo secretário de Cultura, Adalberto Henrique da Silva Lopes (Beto Lopes) e pelo secretário executivo da Fundação Arte e Cultura de Ilhabela (Fundaci), Adilson Benedito do Nascimento.

A exposição que irá até o dia 6 de março é composta por fotos e informações de uma das mais tradicionais comemorações carnavalescas de Ilhabela, o Banho da Dorotéia.

O acervo de imagens é do fotógrafo Ronald Kraag, que além da contribuição a sociedade com sua participação efetiva em diversos projetos sociais, ainda registra de forma espontânea, não apenas os fatos e a história de Ilhabela, mas quase todos os eventos e principais acontecimentos da cidade.

O “Banho da Dorotéia” nasceu já quase 60 anos, originalmente chamado de Banho da Gerarda. Ganhou força em 1956 e saiu às ruas, com fantasias feitas de papel crepom, dando volta pela avenida e por fim, seus participantes caiam no mar, pulando do Pontão (Píer da Vila), colorindo o mar. Tradição que segue até os dias de hoje.

Na ocasião, também foi entregue a restauração da Casa do Caiçara, reabrindo o espaço para visitação. A Casa do Caiçara representa a cultura de Ilhabela. Um pedaço da história e do cotidiano dos antigos moradores tradicionais do arquipélago. Feita de pau a pique, uma técnica que consiste no entrelaçamento de madeiras verticais, geralmente bambu, preenchidas por barro. A ‘Casa’ está retratada de forma original, inclusive, sem luz elétrica, apenas sobre a luz de lamparinas.

O secretário de Cultura, mencionou a alegria de poder vivenciar a possibilidade de preservar e a história e a cultura de Ilhabela. “O Banho da Doroteia é tradicional em Ilhabela, apesar de acontecer em outras cidades, aqui representa muito o nosso Carnaval. Isso vem sendo retratado de forma exemplar, garantindo o registro das emoções das pessoas, pelo Ronald, e hoje está presente na nossa exposição”, ressaltou Beto Lopes.

Foto cedida ao Tamoios News, pela Família Desmonts Silva, mostrando representantes da família no Banho da Dorotéia na década de 60, em Ilhabela.

O prefeito enfatizou que fez questão de estar presente e abrir a exposição: “Não poderia deixar de prestigiar um evento tão importante para a nossa cultura, um registro da parte da nossa história”. Ao falar sobre a reabertura da Casa do Caiçara, Márcio Tenório, lembrou da sua infância, na comunidade da Praia da Fome. “Essa casinha, é símbolo da nossa cultura. Fico feliz em ter pessoas à frente da Secretaria da Cultura, com o compromisso de cumprir o que registramos no nosso Plano de Governo, resgatar a nossa cultura e manter nossas tradições”, disse o chefe do Executivo. Por fim, o prefeito agradeceu e parabenizou a todos os envolvidos por mais esta realiza e lembrou que cultura faz bem à saúde.

Serviço:

A Exposição poderá ser visitada, gratuitamente, até o dia 6 de março, no horário de funcionamento do Museu Waldemar Belisário, no Centro Cultural da Vila, das 9h às 18h.

O Centro Cultural fica na rua da Padroeira, 140, Vila.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.