Cidades Meio Ambiente

Rodovia “também” não é lugar de lixo

Funcionário da Concessionária Tamoios faz a coleta de lixo lançado na rodovia

Triste realidade: além de poluir as praias, o lixo produzido por parte de moradores e turistas, também, poluí nossas estradas. A Concessionária Tamoios, por exemplo, recolhe em média 13 toneladas de lixo por mês. O lixo dispensados pelos ocupantes dos veículos em nossas estradas oferecem muitos riscos, além de colaborar na poluição de córregos, rios e do mar

Por Salim Burihan

O lixo deixado nas areias das praias do Litoral Norte sempre foi motivo de campanhas de conscientização e ações por parte das prefeituras e entidades ambientalistas.

Apesar de tudo, uma pequena parcela de turistas e moradores, que frequenta as praias do Litoral Norte, ainda não se conscientizou da importância de se evitar lixo na areia.

Uma situação que vem chamando muito a atenção é a quantidade de lixo lançada nas estradas da região. O prejuízo é muito grande, não só para o meio ambiente, mas também, para as estradas.

Seria importante desenvolver campanhas para conscientizar as pessoas, moradores e turistas, para que evitem jogar lixo nas margens das rodovias.

É só dar uma olhada durante um feriado prolongado como ficam os canteiros e as margens das rodovias Tamoios, Oswaldo Cruz e Rio-Santos.

Latinhas, garrafas pet, saquinhos de plástico são aos montes abandonados pelos motoristas e ocupantes dos veículos nos acostamentos de nossas estradas.

Fizemos uma pesquisa junto a concessionária Tamoios e ao DER(Departamento de Estradas de Rodagem). O volume de lixo descartado nas rodovias é impressionante e muito perigoso.

Esse lixo, acaba caindo nas caixas de drenagem  impedindo o caminho natural da água da chuva permitindo o surgimento de erosões.

É mais complicado, pois esse lixo que “voa pelas janelas dos veículos”, acaba atingindo córregos e rios e colaboram com a poluição das praias e do mar.

Funcionários recolhem lixo e até móveis velhos abandonados na Tamoios

Segundo informou a Concessionária Tamoios, que cuida da rodovia que interliga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte, mensalmente são recolhidas, em média, 13 toneladas de lixo na Rodovia dos Tamoios.

Somente em 2019 foram recolhidas 156 toneladas. São coletados materiais como garrafas PET, latas de alumínio, restos de alimentos, embalagens, peças de veículos (banda de rodagem de pneu, calota), material de poda e roçada (galharia), resíduo de construção civil, entre outros. Os materiais recolhidos são encaminhados para aterro sanitário licenciado.

As maiores quantidades são encontradas nos locais onde há lixeiras que recebem material dos bairros lindeiros (kms 25, 35 e 62) e nos perímetros urbanos atendidos pela Concessionária.

Segundo a concessionária, o lixo jogado às margens da rodovia pode obstruir as drenagens e bueiros prejudicando o encaminhamento das águas pluviais. Restos de alimentos atraem animais, provocando risco de acidente tanto para o próprio animal quanto para os usuários da rodovia.

13 toneladas de lixo são recolhidas por mês na Tamoios

O DER informou que por meio das equipes de conservação, executa a manutenção da faixa de domínio com a realização de roçada manual e mecânica e limpeza da rodovia.  Também são coletados os materiais depositados inadequadamente na faixa de domínio como latas, sacos plásticos, cadeiras, vidros entre outros detritos.

Na Rodovia Doutor Manoel Hyppolito Rego (SP-055), entre os Kms 53,6 e 120, de Ubatuba a São Sebastião são coletados mensalmente aproximadamente quatro toneladas de lixo.  Todo o material coletado é destinado aos pontos de entrega nos municípios.

O DER lembra, porém, que não é responsável pela coleta de lixo doméstico.  A Lei 10.503 de 17/02/2000, que trata sobre a poluição das rodovias estaduais, proíbe o descarte irregular. Caso haja o flagrante, o infrator será penalizado com multa e será obrigado a retirar o material depositado. Os usuários poderão realizar denúncias pelo telefone 0800 055 5510.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: