Caraguatatuba Cidades

Lagoa Azul está imprópria há cinco semanas consecutivas

Lagoa Azul, no Capricórnio, em Caraguá está poluída há cinco semanas

Por Salim Burihan

As águas da Lagoa Azul, um os pontos turísticos mais visitados de Caraguatatuba, foram classificadas pela quinta semana seguida como poluídas pela Cetesb(Companhia Ambiental de São Paulo).

A Lagoa Azul fica separada do mar por um grande banco de areia. Sua formação se dá na foz do Rio Jetuba. A lagoa fica na Praia do Capricórnio e o acesso é feito pela rodovia Rio-Santos.

O local pode ser visitado, mas os frequentadores devem evitar o banho em suas águas devido ao risco de doenças transmitidas pelo esgoto. O local foi sinalizado com bandeira Vermelha pela Cetesb.

O poluição das águas da lagoa preocupam os moradores do bairro do Capricórnio. Segundo eles, o esgoto que poluí as águas da lagoa vem de bairros desprovidos de saneamento básico, como o Jardim Santa Rosa e o Alto do Jetuba. Chega pelos rios que cortam esses bairros.

O repórter fotográfico e gestor ambiental, Jules Verne, que vive nas proximidades da lagoa, lembra que há muitos anos os moradores e frequentadores lutam pela despoluição das águas do local, mas que isso somente será possível quando os dois bairros(Jardim Santa Rosa e Alto do Jetuba) receberem saneamento básico.

Moradores e veranistas cobram despoluição da lagoa

Sabesp

A Sabesp informou que os bairros Massaguaçu, Jetuba e Capricórnio são atendidos com sistema coletor de esgotos. Já a região do Jardim Santa Rosa está passando por processo de regularização fundiária, tornando-se a partir daí apta para receber as obras de saneamento.

A Sabesp ressaltar que o contrato firmado entre a prefeitura e a Sabesp fará o município caminhar para a universalização do atendimento, lembrando que a expectativa é antecipar grande parte dos investimentos previstos pelo contrato (de 30 anos) nos primeiros 8 anos.

Recentemente, Sabesp e Prefeitura renovaram o contrato de serviços de saneamento básico que prevê investimentos na ordem de R$ 434 milhões. A cidade conta com cerca de 80%  de suas moradias atendidas com coleta de esgoto.

Prefeitura

Alguns moradores, como Diego Gonçalves, demonstram preocupação de que os canais de drenagem abertos pela prefeitura possam vir a comprometer as águas da Lagoa Azul e da praia de Massaguaçu.

“A obra é bem-vinda, e espero que resolva o terrível problema das enchentes no bairro. Mas ela também trouxe a dúvida sobre o impacto dessa drenagem na balneabilidade da praia do Massaguaçu”, comentou Gonçalves, em e-mail encaminhado ao Tamoios News.

Os dados da Cetesb não demonstram, por enquanto, nada disso. Apesar de toda a chuva que atingiu a região nos últimos dois meses, a praia de Massaguaçu esteve própria para banho nas nove semanas analisadas pela Cetesb. No ano passado, 2019, a Massaguaçu esteve poluída em apenas quatro semanas. Em 2018, por apenas duas semanas.

A praia é monitorada em dois pontos pela Cetesb. A prefeitura deixou claro que os canais recebem apenas águas pluviais e não esgoto.

Canal extravasor que está sendo finalizado no Massaguaçu

A Prefeitura de Caraguatatuba alega que não há motivos de preocupação. A Secretaria de Obras Públicas explica que o empreendimento é exclusivo para canalização das águas pluviais oriundas dos córregos e rios da região. Segundo a prefeitura, o único canal extravasor em construção na região do Massaguaçu é o que está em andamento e sendo finalizado.

As obras de construção do canal extravasor para escoamento das águas dos córregos da Região Norte de Caraguatatuba possuem autorização do DER (Departamento de Estradas e Rodagem) e da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

As intervenções serão concluídas no final desta semana e ajudarão no escoamento das águas dos bairros Garden Mar, Jardim do Sol e Massaguaçu, que desembocará no mar. As ações tem o objetivo principal de evitar alagamentos nestas regiões.

A obra de drenagem no Massaguaçu teve projeto aprovado pelo Estado e conta com boa parte dos recursos oriundos do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos).

O empreendimento previu a construção dos canais 10A e 10B na parte alta do Massaguaçu (já concluído) e o atual canal extravasor que está sendo finalizado. Ao todo, serão cerca de 425 metros de canais de drenagem. Todo o projeto e documentação estão a disposição dos moradores para consulta na Secretaria de Obras Públicas.