Caraguatatuba Cidades

Polícia Militar realiza evento em prol do Dia da Mulher

Por Simone Rocha

O 20º BPMI (Batalhão da Polícia Militar do Interior), do litoral norte, comandado pelo tenente coronel César Eduardo Ferreira, realizou na manhã dessa sexta-feira, o 2º Simpósio de Combate à Violência contra a Mulher, no Teatro Mário Covas, em Caraguatatuba.

O evento teve a participação da prefeita de Ilhabela, Gracinha Ferreira, dos presidentes das Câmaras Municipais de Caraguá e Ilhabela, vereadores Carlinhos da Farmácia e Marquinhos Guti, do vereador Tato Aguilar, do delegado seccional Múcio Alvarenga, entre outras autoridades.

A Major PM Eunice Rosa Godinho foi uma das palestrantes e trouxe dados sobre a violência contra a mulher. “De cada 10 estupros 7 acontecem dentro de casa. Quando os muros deveriam proteger, eles acobertam”, revelou.

Major PM Eunice Rosa Godinho, palestrante e o cerimonialista Capitão Daniel

A Major lembrou da necessidade de acompanhar o agressor. “Muitas vezes deixamos de lado esse homem. Ele precisa receber tratamento, geralmente são homens que cresceram vendo a violência e reproduzem esse comportamento. Eles precisam ser tratados para não cometerem mais esse tipo de crime”, alertou.

A advogada Selma de Freitas, presidente da Mulher Advogada da OAB Caraguatatuba falou sobre os aspectos da Lei Maria da Penha. “A Lei 11.340, de 07/08/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, é considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a terceira melhor lei do mundo no combate à violência doméstica, perdendo apenas para Espanha e Chile”, informou Selma.

Para encerrar a manhã de palestras a delegada Júnia Macedo foi breve e direta em seu tema “Atendimento da Mulher Vítima de Violência Doméstica”  Júnia trabalha há quatro anos no litoral norte e está há três anos como titular da Delegacia da Mulher, de São Sebastião.

Uma das palestrantes foi a delegada Júnia Macedo, de São Sebastião. Foto: PM

“Quanto mais tempo a mulher fica num relacionamento tóxico é mais difícil ela conseguir sair dessa relação. Muitas vezes a mulher até procura ajuda, mas já chega falando que só quer dar um susto no companheiro, mas que pretende continuar com ele. Se não tivermos uma rede de apoio formada por psicólogos, familiares, amigos, agentes como policiais militares ou guardas civis, entidades como OAB, entre outras, não conseguimos fazer com que a mulher enxergue o perigo de estar com uma pessoa que a maltrata física e psicologicamente”, esclareceu Júnia.

Assista o vídeo sobre os trabalhos efetuados pela Polícia Militar do Litoral Norte no combate a violência contra a mulher:

https://youtu.be/cG5au8kPLjo

Em seu encerramento a PM exibiu um vídeo detalhando o trabalho que é feito no combate a violência contra a mulher no Litoral Norte, com manifestações do comandante do 20º Batalhão, coronel César Ferreira e de representantes do Ministério Público e do judiciário. No final, a PM prestou uma homenagem à todas as mulheres presentes, entre elas, policiais militares, representantes de entidades e associações, à empresária Traud Rennert e a prefeita de Ilhabela, Gracinha Ferreira.

error: Alerta: Conteúdo protegido!