Cidades Ilhabela

Prefeitura adota medidas para reduzir carros no arquipélago na temporada de verão

Com sérios problemas de mobilidade, principalmente, na temporada de verão, a Prefeitura de Ilhabela vai adotar várias iniciativas para reduzir a presença de veículos no arquipélago, entre elas, a criação de uma linha expressa de ônibus, uso compartilhado de bicicletas e proibição de caminhões nos fins de semana e feriados prolongados

Por Salim Burihan

A prefeita Gracinha vem adotando medidas interessantes para reduzir a presença de veículos nas ruas da Ilha. O objetivo, segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Bianca Colepícolo, é garantir mais qualidade de vida aos moradores, veranistas e turistas.

Bianca explica que o objetivo é melhorar a fluidez no trânsito e gerar melhor qualidade de vida aos moradores e turistas

Nos feriados prolongados e no verão a situação do trânsito é muito complicado na Ilha. A cidade, que possui 34.970 moradores, chega a receber 120 mil visitantes nesses períodos.

Ilhabela, que tem uma frota de 20.360 veículos, entre carros, motos e caminhões, nos feriados prolongados e fim de ano recebe outros 27 mil veículos que chegam pela travessia de balsa.

A Ilha tem apenas uma rodovia, a SP-131, estrada estadual que tem 24,6 quilômetros de extensão e interliga o norte ao sul do arquipélago. No fim de ano, o trajeto entre o Bexiga e o centro, por exemplo, que é feito em 15 minutos em dias normais, chega a durar duas horas.

Medidas

A primeira delas foi à proibição da circulação de caminhões na travessia da balsa nos fins de semana e feriados prolongados. A prefeita Gracinha, na última sexta, alterou um dos artigos do decreto para permitir a circulação interna no município dos veículos dos empreendedores locais. A medida entra em vigor no próximo dia 12.

Da meia-noite de sexta até meia-noite de domingo e em feriados prolongados, os caminhões estarão proibidos de fazer a travessia e circularem pela Ilha.

A proibição de caminhões na balsa vai permitir um número maior de veículos na travessia e melhorar a fluidez do trânsito nas ruas da Ilha nos fins de semana.

Segundo Bianca, outras medidas, com o mesmo objetivo, devem entrar em vigor logo após o Natal. Uma delas é a implantação de uma linha expressa de ônibus que vai ligar a Vila até a Praia do Veloso, sem passar pelo terminal da balsa.

A linha expressa vai circular de 15 em 15 minutos, garantindo mais agilidade para quem optar pelo transporte coletivo ao invés de usar o carro. O preço da viagem, segundo Bianca, será o mesmo da linha normal.

Bianca também se reuniu as 16 operadoras de turismo da Ilha e decidiu liberar para as empresas da cidade a locação de bicicletas compartilhadas. Serão instalados pontos de compartilhamento na Vila, Terminal da Balsa e no Perequê.

Ilha conta com uma ciclovia bem estruturada

A Ilha conta com uma ciclovia bem estruturada ao longo da orla, que liga a Vila até o terminal da balsa, na Barra Velha. Com o compartilhamento de bicicleta a prefeitura pretende incentivar cada vez mais o uso do equipamento no município.

Segundo ela, a prefeitura, também, finaliza a implantação de um estacionamento rotativo para carros no município de São Sebastião, para os turistas que pretendem visitar a Ilha durante o verão.

O estacionamento, que estaria sendo liberado pelo prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, terá 500 vagas. Bianca disse que ainda estão sendo finalizadas as normas operacionais e quanto será cobrado pelos usuários.

Outra medida que está sendo adotada é a entrada em funcionamento do segundo catamarã da Dersa na travessia de pedestres entre São Sebastião e Ilhabela. A embarcação LS-04, que estava em reforma em Santa Catarina, deve começar a operar após o Natal, segundo ela.

O aquabus é super confortável, tem capacidade para 360 pessoas, ar condicionado, banheiros, transporta bicicletas(50) e faz a viagem rápida, cerca de 10 minutos, entre a ilha e o continente. A travessia é gratuita.

 

Aquabus começou a operar em janeiro deste ano e agradou moradores e turistasCom relação ao espaço destinado ao estacionamento de veículos na região central, a prefeitura gostaria de ampliar as vagas até o Perequê, mas a Câmara não autorizou.

Segundo Bianca, isso inviabilizou a implantação da Zona Azul porque sem a ampliação das vagas até o Perequê, devido à falta de viabilidade financeira, nenhuma empresa mostrou interesse em explorar o sistema rotativo.

error: Alerta: Conteúdo protegido!