Cidades São Sebastião

São Sebastião faz a diferença ao oferecer turismo de aventura às pessoas com deficiência

Turista com deficiência visita cachoeira, graças a iniciativa da prefeitura de São Sebastião

Prefeitura de São Sebastião dá um belo exemplo ao oferecer turismo de aventura aos idosos e pessoas com deficiência. O que era apenas um sonho até algum tempo atrás se transformou em realidade. Próximo passeio será na Costa Sul do município, no dia 20

Por Salim Burihan

As prefeituras do Litoral Norte aos poucos vão percebendo a importância de oferecer cada vez mais opções de lazer às pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes.

Nas últimas duas temporadas de verão, ouvimos muitas reclamações, principalmente, de pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes, sobre a dificuldade de se fazer turismo adaptado em nossa região.

Ainda são inúmeras as reclamações sobre a dificuldade de acesso às praias e aos pontos turísticos. O psicólogo Rodrigo Lourenço Ribeiro, de 25 anos, de São Paulo, afirma que adora passear no litoral norte, mas que enfrenta muitas dificuldades em fazer turismo por aqui.

“Infelizmente, as prefeituras ainda não perceberam, que cresce a cada dia o número de pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes em visita à região, mas ainda são poucas as opções de turismo adaptado.

Segundo ele, o cadeirante, por exemplo, não quer ir apenas na praia que tem o programa “praia acessível”. ” A gente quer poder ir a todas as praias e ter condições de visitar os principais pontos turísticos”, comentou.

O programa praia acessível foi o primeiro passo, mas este tipo de turista quer mais, muito mais. Quer visitar os principais pontos turísticos, como trilhas e cachoeiras, não apenas, ficarem limitados aos banho de mar em cadeiras especiais. A acessibilidade é uma questão importantíssima e decisiva para quem tem limitações ou restrições de mobilidade.

Exemplo

A cidade de São Sebastião, um dos principais destinos turísticos de nossa região, decidiu investir na inclusão e se prepara para atrair cada vez mais o turista que enfrenta dificuldades de mobilidade ou depende de uma cadeira de rodas para se locomover.

A prefeitura da cidade, no início do ano passado, adquiriu duas cadeiras adaptadas para trilhas, conhecidas como Juliette. Com esses novos equipamentos, os turistas com mobilidade reduzida ou cadeirantes podem usufruir de passeios incríveis oferecidos pela prefeitura, através da secretarias de Turismo e Sepedi(Secretaria da Pessoa com Deficiência e do Idoso).

Cadeirante faz trilha em cadeira especial oferecida pelo Turismo e Sepedi de São Sebastião

Segundo a prefeitura, o projeto, criado pela SEPEDI, visa quebrar paradigmas, oferecendo melhores condições e experiências de lazer, esporte, cultura e turismo para pessoas com deficiência física e dificuldades de locomoção como cadeirantes e idosos, pretende atrair um número cada vez maior de participantes que desejam usufruir mais intensamente do contato com a natureza.

Com uso de equipamentos especiais, cadeirante pratica turismo de aventura, transformando sonho em realidade

O programa é muito seguro, pois envolve, além das secretarias de Turismo e Sepedi, as pastas da Saúde e do Esporte.

Tradicionalmente, são oferecidos dois passeios: a trilha do Ribeirão do Itu, em Boiçucanga e a trilha Abras do Una, em Barra do Una.

A Sepedi tenta viabilizar outros passeios, como visita a aldeia dos índios guaranis, em Boracéia e as trilhas do Parque Estadual de São Sebastião.

Os passeios são programados de acordo com agendamento. A prefeitura oferece um micro-ônibus para o transporte das pessoas interessadas.

Agendamento

Anderson Luiz Soares Medeiros, da divisão dos programas e projetos inclusivos da Sepedi, explica que as pessoas interessadas devem agendar os passeios com antecedência de 20 dias.

Segundo ele, em cada passeio, cerca de 10 pessoas fazem o apoio aos idosos e cadeirantes. Cada cadeirante conta com o apoio de dois profissionais.

Para fazer os passeios é recomendável que as pessoas usem calça comprida e tênis ou bota e levem uma mochila com os trajes de banho e lanches. Ele recomenda ainda que as pessoas levem água e repelente.

Elisene Santos, que levou sua filha Daiana, de 18 anos para conhecer a trilha e a cachoeira de Boiçucanga disse que o programa de turismo inclusivo oferecido pela prefeitura é realmente espetacular.

“Minha filha tem hidrocefalia e recebeu toda o apoio e a colaboração da equipe da prefeitura para poder visitar pela primeira vez a cachoeira de Boiçucanga. Foi um passeio emocionante e inesquecível para ela”, contou Elisene, cuja filha, viaja duas vezes por semana para fazer tratamento em Bauru e Taubaté.

No próximo dia 20, por exemplo, será realizado mais uma edição do  ‘Projeto de Turismo de Aventura Especial’, desta vez, na Trilha do Ribeirão de Itu, em Boiçucanga, na Costa Sul do município. O programa terá início às 8 horas.

As pessoas interessadas devem entrar em contato com as secretarias e aproveitarem está ótima oportunidade. O telefone para maiores informações do programa e agendamento do passeio é o 3892-2669 (Sepedi).