Cidades Ilhabela

Vereador Valdir Veríssimo é absolvido em condenação por caça ilegal em Ilhabela

Vereador Valdir Veríssimo foi absolvido na acusação de caça ilegal, condenação em primeira instância, que o tornava inelegível na Ilha. Em decisão em segunda instância, publicada no dia 7, ele foi absolvido e condenado a um ano por posse ilegal de arma, cuja pena foi substituída por pagamento de cestas básicas, crime que não deixa o vereador inelegível nas eleições de 2020. Valdir irá recorrer

Por Salim Burihan

Condenado em 2018, em primeira instância, por caça ilegal e porte de arma, o vereador Professor Valdir Veríssimo(Cidadania) conseguiu sua absolvição em segunda instância.

Em decisão proferida no último dia 7, a Justiça absolveu o parlamentar da pena por caça ilegal e aplicou uma condenação de um ano, substituída por pagamento de cestas básicas, pelo crime de posse ilegal de arma.

Na primeira condenação, em 2018, Valdir Veríssimo tinha sido condenado há 2 anos, 1 mês e 15 dias de detenção, pena substituída por prestação de serviços à comunidade e prestação pecuniária no valor de dois salários mínimos.

O vereador prepara novo recurso alegando que no processo até agora não teria sido esclarecido  a quem pertenceria à arma encontrada em sua casa, ou seja, se era dele, da sua mulher ou de seu sobrinho.

Valdir explica que condenação por posse ilegal de arma não lhe deixa inelegível em Ilhabela

“Estamos muito tranquilos. Fui absolvido do crime ambiental(caça ilegal) que colocava em risco a minha vida política. A condenação inicial por crime ambiental me deixava inelegível. A condenação por posse ilegal de arma não me deixa inelegível, mesmo assim, vou recorrer”, contou.

Segundo Valdir Veríssimo o assunto é muito comentado na Ilha pelo fato dele ser um dos possíveis candidatos a prefeito e, nas recentes pesquisas,  aparecer como um dos mais bem avaliados pela população local. “Os ataques feitos nas redes sociais, com informações desatualizadas e antigas, tem este objetivo, me prejudicar politicamente, mas estamos bem tranquilos”,alegou.

Valdir Veríssimo cumpre o terceiro mandato como vereador, foi presidente da Câmara e secretário municipal na Ilha. O vereador confirmou que é pré-candidato a prefeito, mas ainda não decidiu se sairá candidato pelo Cidadania ou outro partido.

O presidente da Câmara de Ilhabela, Marquinhos Guti(DEM), disse que o vereador Valdir, apesar da condenação,  não pode ser afastado de suas funções legislativas porque ainda cabe recursos.

“Ele foi absolvido da condenação por caça ilegal e foi condenado há um ano por porte ilegal de arma. O vereador deverá recorrer desta decisão e somente poderia ser afastado de suas funções legislativas quando não couberem mais recursos”, comentou.

Entenda

O vereador foi denunciado pelo Ministério Público em 2014. Durante uma fiscalização, policiais ambientais abordaram o sobrinho do vereador supostamente caçando. O sobrinho levou os policiais até a casa do vereador,
onde foram encontradas uma espingarda, munições e quatro carcaças congeladas de animais, sendo um jacu e três cutias, dentro de um freezer. O sobrinho admitiu ser dono da arma.

Em primeira instância, o juiz descartou laudo da Fundação Animalia sob o argumento que a produção da prova ‘não respeitou o disposto na Lei Processual Penal’. No caso, o documento deveria ter sido subscrito por duas pessoas, mas foi elaborado por apenas um especialista.

O vereador recorreu da sentença. Nos autos, a defesa de Valdir e de Maria Assunção alegou, em preliminar, a ocorrência de invasão de domicílio, nulidade da prova pericial produzida. No mérito, postulou a absolvição dos réus.

Professor Valdir relatou que processo foi motivado contra ele por ‘questões políticas’. O vereador afirmou durante o processo,  que ‘não tinha consciência de que a arma do sobrinho da esposa estava ocultada em sua residência’ e que ‘as carcaças encontradas no freezer eram de patos, e não de animais silvestres’.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: