Dengue Litoral Norte

Litoral Norte têm 86 casos de dengue

O Litoral Norte já contabiliza 86 casos de dengue. Caraguá tem 30 casos; Ubatuba, 24; São Sebastião, 20; e, Ilhabela 12 casos da doença.

Caraguá

Caraguá é a cidade com maior número de casos. Em pouco mais de dois meses a cidade de Caraguá já registra três vezes mais o número de casos de dengue que  o registrado ao longo de todo o ano passado.

Desde o início deste ano, já foram contabilizados 30 casos de dengue e outros cinco casos ainda aguardam confirmação.

No ano passado, 2018, foram registrados apenas dez casos da doença e nenhuma morte. Este ano uma pessoa já morreu de dengue hemorrágica contraída na cidade.

Até esta quarta(6), um total de 429 pessoas já haviam passado pelas unidades de saúde da prefeitura.. Todas fizeram o teste. Um total de 394 casos deu resultado negativo.

Segundo informou a prefeitura, a maioria das pessoas que contraiu a doença, mora nos bairros do Porto Novo, Jaraguazinho e Sumaré.

Ubatuba

Ubatuba é a segunda em números de casos de dengue. Segundo informou, Patrícia Machado, Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Ubatuba, a cidade registrou 24 positivos de dengue este ano. Vinte e dois casos foram contraídos na própria cidade e outros dois caso, são importados, de doentes que contraíram a dengue no Tocantins e São José do Rio Preto(SP).

São Sebastião

A Prefeitura de São Sebastião informou que até o momento, em 2019, foram notificados 222 casos suspeitos de dengue. Deste total, 180 tiveram resultados negativos e foram descartados e 20 casos foram positivos. Os outros 22 casos aguardam resultado do Instituto Adolfo Lutz.

Em dois meses, a cidade já registrou mais da metade dos casos ocorridos ao longo de 2018. No ano passado foram confirmados 35 casos de dengue em São Sebastião.

Os casos positivos são dos seguintes bairros: São Francisco (03), Morro do Abrigo (01), Juquehy (05), Maresias (01), Barra do Sahy (01), Cambury (01), Centro (02), Enseada (01), Canto do Mar (01), Porto Grande (01), Barequecaba (01), Portal da Olaria (01) e Itatinga (01). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em 2018, o município registrou 35 casos confirmados de dengue.

Diariamente a Vigilância Epidemiológica mantém ações de monitoramento dos casos positivos da doença e dos locais com maior índice de infestação do vetor. Com ações como essa é possível identificar rapidamente um aumento significativo de casos por bairro, o que gera possibilidade de programar ações de bloqueio rapidamente.

O bloqueio inclui vistoria em imóveis para identificação e remoção de criadouros e aplicação de inseticida para eliminação dos mosquitos adultos em um raio de 150 metros do local onde foi encontrado o caso positivo.

A Prefeitura conta com uma novidade para a área assistencial, um teste rápido para casos suspeitos de dengue, disponível em todas as unidades básicas, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Pronto Atendimento (PA) de Boiçucanga.

Segundo a Vigilância Epidemiológica, o resultado do teste fica pronto em 15 minutos, mas funciona apenas para pessoas que estejam nos três primeiros dias de início dos sintomas, quando é considerada fase aguda. Fora desse prazo é preciso realizar o exame de sangue convencional, que é enviado para o Instituto Adolfo Lutz e fica pronto de 15 a 20 dias. De qualquer forma o paciente já é tratado como um caso de dengue.

A Administração Municipal reforça também a importância da população fazer o descarte correto do lixo, e vistoriar as residências sobre os locais onde possivelmente possam se tornar criadouros do mosquito Aedes Aegypti.

 

Ilhabela

Em Ilhabela, segundo informou a prefeitura, são 12 casos da doença confirmados este ano. A prefeitura de Ilhabela não informou quantos casos da doença foram registrados no ano passado.

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.