Esportes

Nos pênaltis, Colônia vence Praia Grande e leva título da Copa Joanilson Rodrigues da Silva

Raell Nunes
Raell Nunes

Decisão da disputa, que terminou o segundo tempo em 0 a 0, ocorreu nos pênaltis

Com arbitragem pressionada, jogo foi tenso; mesmo com 1 jogador a menos o time do Colônia levantou a taça

Por Raell Nunes, de Ubatuba

O time Colônia, após embate de 0x0, venceu o seu rival Praia Grande nas penalidades máximas, na final da copa Joanilson Rodrigues da Silva, no campo da Estufa 2, localizado em Ubatuba, no domingo (20).

A partida começou tensa e com críticas à arbitragem. Logo no primeiro tempo o meio campista do time vencedor, Izaque, tomou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

A torcida estava impaciente, pois já se passava o primeiro tempo e nada de bola na rede. No intervalo, os boleiros, de ambos os times, conversavam entre si para tentar furar a zaga do adversário e partirem para o abraço.

O atacante e artilheiro do campeonato, Fernando Toledo de Araújo, cognome Chupeta, disse que o time Colônia é uma família. Ele afirmou que estava cheio de vontade e com esperança de botar a bola para dentro do gol no segundo tempo.

Leonardo, volante da equipe Praia Grande, disse que o primeiro tempo não foi jogado. De acordo com ele, a rivalidade existe entre os times, mas o Praia Grande merecia a vitória.

Rivalidade

f728e4b6-d5ea-4448-b229-d2946fe6c509

O juiz da partida, Oziel dos Santos, sinalizou o começo do segundo período de jogo. Os jogadores tinham mais 45 minutos para decidirem o campeonato.

Na arquibancada, o vereador, Adão Pereira dos Santos (PDT), disse que o jogo era decisivo e os dois queriam muito ganhar. “Olha, no futebol acontece de tudo. Mas que vença o melhor”, completou.

O organizador do campeonato, Ivanildo Nunes, epíteto Magoo, declarou que os boleiros estavam nervosos e jogando com raça e não arriscou dizer quem ganharia. “Não quero dar palpite. O jogo vai terminar pau a pau”.

De fato, o jogo terminou acirrado. Com 0x0 nos 90 minutos, as equipes se preparavam para as penalidades, com orações e gritos de guerra. Os goleiros diziam estar confiantes. 

O time do Praia Grande perdeu mais pênaltis. O goleiro do Colônia estava realmente inspirado, pegou dois. Quando o jogador Cleisson Santos Rosa, foi para bater a última penalidade para o Colônia, a torcida gritava: “é o gol do título, borá lá muleque”. Não deu outra. O camisa 33 chutou a bola em um canto e o goleiro caiu em outro. Cleisson correu para o abraço e toda equipe veio junto, gritando em coro “É campeão, é campeão”. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido!