Geral Ubatuba

A Associação Comercial de Ubatuba demonstra descontentamento com ações do prefeito Sato

A Associação Comercial de Ubatuba- Aciu resolveu tornar público o seu grande descontentamento com a Prefeitura de Ubatuba e com a Companhia Municipal de Turismo da cidade- a Comtur.

A entidade destaca que vigora em nosso município a Lei nº 2180 de 12 de abril de 2002 que regulamenta o licenciamento de eventos comerciais e publicitários, de caráter temporário em Ubatuba, que constituiu uma Comissão de Eventos da qual a Aciu faz parte.

Essa Comissão, nos termos da referida lei, tem parecer de cunho decisório para os efeitos da concessão ou denegação do alvará solicitado pelos interessados em realizar eventos em Ubatuba, ou seja, ela é pautada pelo artigo 6º, inciso II, desta citada Lei onde consta que “só serão autorizados eventos que não virão causar prejuízo significativo para o comércio e outras atividades econômicas regularmente estabelecidas no município”.

Acontece que, segundo o presidente da entidade, Márcio Maciel, a prática de trazer eventos sem o aval da referida Comissão tem se tornado rotina em Ubatuba.
A ACIU já tomou medidas referente à um feirão de automóveis realizado na cidade em junho, onde acredita que os comerciantes desse segmento de Ubatuba foram altamente prejudicados.

 

Agora a entidade acabou de tomar conhecimento sobre a realização do “Festival de Linguiça de Bragança” que acontecerá dos dias 12 à 21 de julho, das 11h00 à meia noite na Praça de Eventos, com comércio de comidas, bebidas e música ao vivo.

Isso, sem contar que esse Festival coincide com a nossa tradicional Festa do Divino que acontece de 11 à 21 de julho na Praça da Matriz e o Festival da Almada de 18 à 21 de julho.

“Por diversas vezes procurei o Executivo para que os anseios de nossos comerciantes da cidade fossem atendidos em várias situações que não obtive retorno. São esses empresários guerreiros que com muita dificuldade, se mantém em Ubatuba o ano inteiro, pagando impostos, gerando empregos, capacitando sua mão de obra, já sofrendo com a sazonalidade que é um dos fatores negativos de Ubatuba, ainda assim, o Executivo ao invés de colaborar com essa classe tão importante da cidade, traz esses eventos que só causam prejuízos ao nosso comércio local”.

Maciel acredita que o prefeito Sato, deveria além de respeitar a lei que rege a Comissão de Eventos, também respeitar os empresários que movem a economia local.
“O Sato sempre disse que foi nosso parceiro. Cadê essa parceria que eu não estou vendo? A Aciu sim que é parceria, pois ajuda todos os eventos que acontecem em prol do município. Que parceria é essa de uma via só?”, concluiu o presidente da Aciu.

Prefeitura

Tentamos falar com o prefeito Dato, mas ele se encontra fora do município. A assessoria de imprensa da Prefeitura publicou uma nota rebatendo as alegações da Aciu. Confira as alegações da prefeitura:

A administração da Prefeitura de Ubatuba vem a público manifestar seu descontentamento com o posicionamento da Associação Comercial e Industrial de Ubatuba (ACIU) que manifesta equivocadamente seu desacordo com eventos realizados em nosso município. Esclarecemos que administramos a cidade para todos os segmentos, contemplando os interesses comerciais, empresariais e sociais sem discriminação alguma. Aliás, não poderia ser diferente, afinal governamos democraticamente e sempre buscamos o diálogo e o entendimento.

Estamos em plena baixa temporada de inverno. Contamos com uma ampla programação de festas e eventos neste mês de julho. Desta forma contemplamos a nossa população fixa e, ainda, buscamos atrair a população flutuante de turistas e veranistas. Estimular e aquecer a economia local atendendo os anseios do comércio e de todo o trade turístico é o único objetivo. Eventos que indubitavelmente geram empregos, renda e mais recursos para o município.

Acertadamente, a ACIU destaca a Lei nº 2180 de 12 de abril de 2002 que regulamenta o licenciamento de eventos comerciais e publicitários, de caráter temporário em Ubatuba, que constituiu uma Comissão de Eventos para sua aprovação. No entanto o parágrafo Único do Artigo 1º desta Lei dispõe que fica excluído desta exigência atividades com fins filantrópicos. E, equivocadamente, a discórdia em pauta está por conta do Festival da Linguiça de Bragança que acontece de 12 a 21 de julho e terá parte da sua arrecadação destinada aos trabalhos sociais do município. Este evento também conta com apoio da Companhia Municipal de Turismo (Comtur) que tem o compromisso com o fomento do turismo, além de emissora de rádio sem fins lucrativos, a Rádio Comunitária Cidade de Ubatuba FM.
Ressaltamos que em nada conflita com a Festa do Divino que faz show de prêmios e tem como prato principal a tainha na brasa. Aliás, a Paróquia Exaltação à Santa Cruz sempre contou e contará com o nosso total apoio. Em nada compete com a Festa do Camarão da Almada. Enfim, são eventos que possuem seus públicos diferenciados.

Eventos gastronômicos estão se tornando referência em nossa cidade. Recentemente contamos com o intercâmbio com o projeto Culturando que trouxe a tradição culinária da região de Barretos e também levaremos nossa cultura, as nossas tradições, as nossas raízes além fronteiras. Ainda no leque do descontentamento a ACIU cita a Feira de Automóveis realizada em área particular e que apenas contribuiu com a arrecadação do município, além de estar rigorosamente dentro da lei. A administração já se colocou à disposição para de forma gratuita  fazer uma feira de automóveis pelos empresários locais, sem custo algum e utilizando área pública. Fica aqui o nosso clamor pela união de todos os setores pelo bem de nossa cidade, sem vaidades, sem interesses pessoais. Acreditamos que onde prevalece o rancor, somente com amor para vencer as batalhas.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: