Cidades Geral

Operação Romeiro da Polícia Militar

No próximo dia 12, Dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil e dia das crianças, a Polícia Militar realiza Operação Romeiro, a qual encerrará em 13 de dezembro de 2020.
Neste período, o policiamento será intensificado, havendo reforço das unidades territoriais e especializadas da Polícia Militar da Região Metropolitana do Vale do Paraíba, incluindo o Comando de Aviação (CAvPM), a Escola Superior de Soldados (ESSd), o Corpo de Bombeiros, Policiamento Ambiental e Rodoviário Estadual.
Como inovação foi disponibilizada uma pesquisa na página do 23ºBPM/I no Facebook, com o intuito de colher dos visitantes, moradores e comerciantes, suas opiniões, sugestões e observações do trabalho prestado pela Polícia Militar, o que permitirá a identificação do perfil e das necessidades das pessoas que se utilizam dos serviços da corporação.
A Polícia Militar atuará de forma ostensiva, com vistas à segurança dos visitantes, dando ênfase aos pontos de maior fluxo de pessoas e ocorrências, nos horários de maior necessidade.
Aproveitamos para orientar aos romeiros:
• Importante hidratar para evitar o grande número de ocorrências de mal súbito, em razão da estação do ano, evitar aglomeração de pessoas, como medida de prevenção a COVID 19, além do uso de máscara e do distanciamento;
• Utilizar pulseira com informações para identificação e localização do ônibus, além do contato telefônico do responsável para evitar o desencontro de pessoas, principalmente idosos e crianças;
• Ter cuidado com objetos pessoais (bolsas, carteiras, celulares, etc.), pois oportunistas podem se aproveitar da aglomeração e boa fé dos visitantes para a prática de furtos;
• Cuidado com os “falsos” vendedores de fitinhas e “santinhos”: Caso adquira fitinhas ou “santinhos” não permita que os vendedores coloquem esses objetos dentro de sua carteira ou bolsa, pois alguns oportunistas, fazem uso dessa estratégia para furtar dinheiro e ou objetos;
• NUNCA pague com notas de valor alto, pois essa é outra estratégia que os infratores usam para ficar com esse valor sem devolver o “troco”;
• Ninguém está autorizado a pedir doações em nome do santuário ou de outros serviços sociais.

error: Alerta: Conteúdo protegido!