Natal

Em plena era da tecnologia, a tradição de “escrever cartinha” ao Papai Noel ainda se mantém viva

Mais de 1.000 crianças da região vão receber presentes de pedidos das cartinhas que enviaram aos Correios. Apesar da era da informática e redes sociais, essa tradição antiga- de escrever carta ao Papai Noel ainda se mantém viva para muitas crianças

Por Simone Rocha

As crianças de todo país costumam escrever cartinhas para o Papai Noel. Muitas vezes esses pedidos são entregues para os pais que tem condições de atender os desejos de seus filhos, mas algumas vezes, no caso de crianças carentes, vão parar nas agências dos Correios, sejam levadas pelos familiares, professores ou conhecidos.

O prazo para adotar uma cartinha e presentear uma criança já terminou e agora os carteiros estão na rua entregando os presentes. Nem todo mundo sabe, mas há 30 anos, os empregados dos Correios, comovidos com as mensagens escritas em letrinhas recém-aprendidas ou transformadas em desenhos coloridos que chegavam até a empresa, decidiram começar a tirar esses sonhos do papel.

As crianças do litoral norte também escreveram cartinhas para o bom velhinho na esperança de ganhar um presente. Os Correios não informaram o número exato de cartinhas que foram escritas na região, mas segundo a empresa foram adotadas 758 cartas em Caraguatatuba, 221 em Ubatuba, 301 em São Sebastião. Os dados da Ilhabela ainda não foram fornecidos pela empresa, pois estavam sendo computados até o fechamento da matéria.

Os presentes ainda estão sendo entregues, mas o objetivo, conforme os Correios, é entregar todos até a véspera do Natal. A distribuição começou quando os padrinhos entregaram os primeiros presentes nas agências. De acordo com os Correios os itens mais pedidos pelas crianças do litoral norte foram roupas, bonecas, carrinhos, material escolar e bolas.

Qualquer pessoa, em qualquer lugar do país, pode participar da campanha e fazer a alegria de uma criança. Para quem não sabia que é possível adotar uma cartinha do Correios, pode fazê-lo no ano que vem, por volta do mês de novembro.

É só procurar uma agência dos Correios de Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela e Ubatuba e após adotar a cartinha levar o presente devidamente embalado até o local definido pelos Correios, geralmente na agência onde a cartinha foi retirada. Não há limite de cartas por padrinho, mas a pessoa é responsável pelas cartas que adotar, pois uma desistência impede que a carta seja adotada por outro padrinho.

error: Alerta: Conteúdo protegido!