Cidades Notícias Ubatuba

Prefeitura de Ubatuba estuda licitação para implantar coleta seletiva

Lixeira na praia Grande, em Ubatuba.

Uma antiga demanda no município de Ubatuba é a implantação de um serviço de coleta seletiva permanente, abarcando todos os bairros da cidade e preparado para os grandes volumes gerados durante a temporada.

Atualmente, a prefeitura não realiza coleta seletiva e nem há prazo para implantação. O serviço, limitado a alguns bairros, é realizado por meio dos esforços da cooperativa Coco e Cia. Porém, no momento, a entidade está fazendo uma vaquinha para consertar o único caminhão que dispõe para fazer a atividade.

A nova gestão promete que vai reestruturar a coleta seletiva em Ubatuba. “Está sendo estudada uma licitação específica para coleta em todo o município, além de projetos de melhoria no centro de triagem da cooperativa e compra de equipamentos”, informou a prefeitura.

No Plano de Governo da prefeita Flávia Pascoal (PL), há duas menções à “coleta seletiva”. Primeiro no programa de metas da categoria inclusão social e qualidade de vida, que inclui entre as metas gerais a ampliação da coleta seletiva. E depois entre as metas da categoria planejamento e meio ambiente, que inclui implementar a coleta seletiva de lixo e incentivar a criação de cooperativa de recicladores. Ainda nessa categoria, aparece a meta de implantar um programa de reciclagem do coco, alumínio, vidro e sobras de peixe. Na categoria trabalho e geração de renda consta entre as metas o fortalecimento da rede de cooperativas de reciclagem.

Durante o mandato do ex-prefeito Délcio Sato (PSD), conforme descrito no Plano de Saneamento Básico de Ubatuba de 2019, o município permaneceu sem uma política direcionada para a coleta seletiva, sem estrutura para realizá-la, operando esporadicamente com um caminhão compactador em estado precário, que não coletava 1% dos resíduos potencialmente recicláveis e atendia somente a região central.

*Texto: Renata Takahashi / Tamoios News