Caraguatatuba Segurança Pública

Caraguá: Número de homicídios já é maior que o registrado no ano passado

Caraguatatuba, a maior cidade do Litoral Norte, com cerca de 121.532 habitantes, já contabiliza mais  homicídios, que o número registrado ao longo de todo o ano passado.

A PM garante que os índices criminais estão em queda, a prefeitura informa que tem feito vários investimentos para aumentar a segurança, mas a população vive insegura. Para moradores e comerciantes é preciso reforçar os efetivos da PM e Polícia Civil

É bom destacar, que desde o início do ano, a Polícia Militar, vem intensificado suas operações na cidade, inclusive, com participação do BAEP( Batalhão de Ações Especiais de Polícia), de São José dos Campos.

As operações acontecem nas estradas, nos bairros, praticamente, toda semana. São operações integradas, inclusive, como apoio do serviço de inteligência da PM e denúncias anônimas feitas por moradores.

A PM tem apreendido muita droga e prendido traficantes. Foragidos da justiça, alguns deles, infiltrados entre os moradores de rua, estão sendo capturados, praticamente, todos os dias.

As ações ocorrem, praticamente, todos os fins de semana, mas mesmo assim, a violência continua em alta. Na região sul, considerada a mais crítica da cidade, comerciantes estão fechando seus comércios mais cedo e criaram um grupo no whatsApp de comunicação, para aumentar a segurança.

Na madrugada de ontem(31), no Travessão, região sul, três bandidos tentaram assaltar a casa de um policial militar. Houve troca de tiros e um bandido foi morto e os outros dois fugiram. O policial militar ambiental ficou ferido e foi removido para um hospital de São José dos Campos e não corre risco de morte.

Ainda ontem, na região central, a PM prendeu sete pessoas em uma casa no bairro Martim de Sá, supostamente, envolvidas com roubos ocorridos na cidade. Um deles, aconteceu no Sumaré.

A cidade cresceu muito, mas os efetivos da PM e da Polícia Civil, praticamente, não acompanharam o crescimento populacional. É o pensamento da maioria dos comerciantes e moradores consultados.

Estatísticas

Os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado confirmam o crescimento da violência na cidade nos seis primeiros meses deste ano.

Caraguá registrou até julho 18 homicídios. Ao longo de o ano passado foram 20 mortes. Se somarmos as mortes ocorridas em agosto(quatro), o número de homicídios chega a 22, superando as mortes contabilizadas em 2018.

Nos primeiros seis meses, deste ano, foram registrados três latrocínios (roubo seguido de morte). No ano passado,  foram dois casos.

O número de tentativas de homicídio: 17 nos primeiros seis meses do ano, contra 32 ao longo de todo o ano passado. Estupros, 48 nos primeiros seis meses contra 63 em 2018. Roubo de carro, foram 19 nos primeiros seis meses, contra 34 nos doze meses de 2018.

O número de roubos continua crescendo. Entre janeiro e julho foram 300 casos.  Ao longo do ano passado, foram 634.

“A gente anda preocupado. Tem muito andarilho pela cidade e no meio deles,  foragidos da justiça.  Reforçamos a segurança patrimonial com alarmes e câmeras de monitoramento, mas a  sensação de insegurança permanece. A cidade cresceu muito, mas os efetivos das policias militar e civil, praticamente, permanecem os mesmos”, comentou um tradicional comerciante da cidade, que optou pelo anonimato.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial da cidade, Sávio Luiz dos Santos, disse que vai encaminhar uma solicitação ao Governo do Estado pedindo o aumento dos efetivos da PM e da Polícia Civil.

“Sempre colaboramos com a PM, doando bicicletas e ajudando nas manutenções, mas é preciso aumentar o efetivo,  a cidade cresceu. Somos uma cidade turística e a segurança é fundamental para nós”, comentou.

PM

PM intensifica operações na cidade

O comandante do CPI-1(Comando do Policiamento do Interior), responsável pelo Vale e Litoral Norte, coronel José Eduardo Sanelis, disse que todos os crimes contra o patrimônio foram reduzidos em Caraguatatuba neste ano.

Segundo Stanelis, teria havido redução de 33,8% nos roubos;  de 13,63%, nos roubos de veículos; de 50% no roubos de cargas; de 5,9% nos furtos; de 5,5% nos furtos de veículos; e, que nenhum roubo a banco foi registrado na cidade.

Stanelis afirmou que o aumento nos casos de homicídios não ocorre por falta de ação da PM, mas devido a uma questão geral, que envolve problemas de família, drogas, desemprego e falta de ações sociais.

Comandante do CPI, coronel Stanelis, alega que, homicídios ocorrem, por desavenças familiares, tráfico de drogas e falta de ações sociais.

“Em 99% dos homicídios registrados na cidade, as vítimas tinham envolvimento com a violência. Isso não aparece nos dados da Secretaria de Segurança, mas apenas nos boletins de ocorrências elaborados nas delegacias. A maioria, por dívidas com o tráfico”, contou.

O comandante encaminhou o resultado das ações da PM na cidade entre janeiro e agosto: 168 presos em flagrante delito; 42 menores sindicados; 34 armas apreendidas; 103 procurados recapturados;76 flagrantes de tráfico de entorpecentes; 42.733 pessoas abordadas; e, 57, 443 quilos de entorpecentes apreendidos, sendo 26 quilos de cocaína, 15,185 quilos de crack e 16,200 quilos de maconha.

Prefeitura

A Prefeitura de Caraguatatuba informou que mesmo sendo a segurança de responsabilidade do Governo do Estado, tem investido na área para combater a criminalidade no município.

Uma das medidas adotadas pela atual administração foi o aumento de 50% do efetivo policial da chamada Atividade Delegada (AD), quando o policial atua em momento de folga, mas custeado pela Prefeitura.

Segundo a prefeitura, os resultados têm sido positivos e recentemente a Polícia Militar da 2ª Cia do 20º BPM I, em Caraguatatuba recebeu a premiação de 1º lugar dentre os 37 municípios do Vale do Paraíba e litoral Norte que mais reduziu a criminalidade no 4º trimestre em 2018.

Atualmente, a Atividade Delegada conta com um total de 26 policiais, 16 deles atuam em quatro viaturas em dois turnos, seis em bicicletas e dois a pé.

Prefeitura amplia atividade delegada

Resultado de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre Prefeitura de Caraguatatuba e  Concessionária Caraguá Luz, o município está recebendo um projeto piloto de safe city, com câmeras instaladas nos postes de iluminação da cidade para monitoramento facial e de veículos produtos de roubo.

Já foram instaladas pela Caraguá Luz dez câmeras de monitoramento de alta resolução, sem custo para a Prefeitura. O objetivo é auxiliar o município em questões de segurança pública, trânsito, monitoramento de veículos, reconhecimento facial e dados analíticos. As câmeras são para identificação de pessoas através de biometria e identificação de veículos atrás da leitura da placa do carro. Terão zoom de aproximação de até 400 metros em tempo real.

A Prefeitura de Caraguatatuba entende que quando investe em iluminação pública, também, está investindo na melhoria da segurança. Segundo a prefeitura, já foram instaladas mais de 21 mil luminárias em LED.  O projeto abrange todos os bairros da cidade, desde a Tabatinga (região Norte) até o bairro do Perequê-Mirim (região Sul).

Guarda

Desde junho está aprovada a lei que cria a Guarda Civil Municipal de Caraguatatuba. Outra conquista do município quando se fala em dividir as responsabilidades da questão de segurança com o Estado. Este mês, o Executivo assinou contrato de prestação de serviços com a Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) para a realização do concurso público para admissão na Guarda Civil Municipal. Serão inicialmente 70 vagas para homens e mulheres.

Para o prefeito Aguilar Junior, a Guarda Municipal é uma vitória de Caraguatatuba. “Embora dever do Estado, temos que dividir a responsabilidade quando o assunto é segurança. Importante salientar que vamos manter todos os investimentos nas Polícias Civil e Militar. A Guarda Civil Municipal vai apoiar as forças de segurança já existentes na cidade”, esclarece.

O vice-prefeito Campos Júnior considera também ações ligadas à segurança a criação do  Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIAM), equipamento da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania de Caraguatatuba, voltado às mulheres vítimas de violência; o programa de Regularização Fundiária; a descentralização da cultura, da Fundacc, do Esporte.

“Existe um conceito de que onde não existe ordem ambiental, não existe ordem pública. Se a cidade está bagunçada, não adianta querer segurança pública. A organização da cidade tem que estar na base da segurança pública”, explica ele.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: