Cidades São Sebastião

Covid: Prefeitura libera 100% de ocupação em hotéis e pousadas

A Prefeitura de São Sebastião, por meio do Comitê de Estudo e Gestão de Reabertura da Economia, decidiu ampliar a capacidade de ocupação nos hotéis e pousadas de 50% para 100%.

A medida vai contra o Plano São Paulo que classificou a cidade no fase 2-Laranja onde é permitida apenas o o funcionamento de serviços essenciais. O estado, no entanto, deu autonomia as prefeituras para fazerem a reabertura gradual da economia em seus municípios.

São Sebastião é a cidade com maior número de casos de Covid-19 entre seus moradores, são 1.026 e 22 mortes, sendo três delas de moradores não residentes. Nas demais cidades da região a taxa de ocupação de hotéis e pousadas varia de 50 a 60%.

Segundo Niura Tedesco, que integra o Comitê de Estudo e Gestão de Reabertura da Economia, representando os empresários do setor, o segmento hoteleiro tem sido um dos maiores exemplos de educação aos turistas. A demanda existe desde março, abril, maio, junho e julho. As casas de aluguel de temporada têm sido as grandes responsáveis pelo aumento de turistas e veranistas.

“Nossas praias têm estado lotadas há meses e lembramos que o segmento hoteleiro somente abriu há pouco menos de um mês não sendo portanto responsável pelo aumento do número de turistas ou casos. O segmento teve o menor índice de contaminados de todos os setores testados, de quase mil testados, não chegamos a 10 contaminados. O setor de hospedagem é considerado essencial e segundo o Plano SP jamais foi decretado seu fechamento”, comentou.

Segundo ela, o município tem no momento 269 casos ativos. ” Este é um número muito importante, e não o número de casos que já tivemos no município. Com relação a mortalidade, a taxa está em 1,8% uma taxa muito baixa, e lembrando, nenhuma morte foi causada por falta de estrutura hospitalar ou medicação e este é o principal motivo pelo qual avançamos com as flexibilizações, pelo controle de mortalidade e ocupação de leitos”, justificou.

Na cidade, são inúmeras as reclamações sobre a falta de fiscalização por parte da prefeitura. Os moradores alegam que cumprem os protocolos de saúde, mas que isso não ocorre por parte dos visitantes. Boa parte da população da cidade tem evitado ir a praia ou quando vai evita aglomerações, mas segundo os moradores, isso não estaria ocorrendo com a maioria do turistas que visita a cidade, principalmente, nos fins de semana.

Georgetta Gonçalves, moradora de Boiçucanga, entende que ainda não seria o momento para ampliar a flexibilização no município. Segundo ela, os moradores estão apavorados com os números de casos e de mortes na cidade.

“Se ainda houvesse uma fiscalização intensiva por parte da prefeitura, tudo bem, mas não é isso que a gente vê no centro comercial e nas praias. A maioria não usa máscaras. Nas praias, a aglomeração tem sido constante. Se a prefeitura não intensificar a fiscalização sobre o uso da máscara e das aglomeração, infelizmente,  a gente acredita  que vai morrer muita gente ainda. No domingo, uma galera curtia o pagode na praia de Cambury, todo mundo sem máscara e superaglomerado”, comentou.

Galera, aglomerada e sem máscara, no pagode em Cambury

 

Normas

Segundo informou a prefeitura, para hotéis, pousadas e similares, a taxa de ocupação foi ampliada de 50% para 100% da capacidade, mantendo os protocolos setoriais já estabelecidos, como manter mesas afastadas uma das outras numa distância mínima de dois metros, além de cadeiras e espreguiçadeiras em distanciamento de pelo menos um metro e meio uma das outras, inclusive nas áreas sociais.

Entre outras regras, o serviço de café da manhã deve respeitar o mesmo distanciamento das mesas para a pessoa ou grupo familiar. Estações de buffets só podem ser usadas quando totalmente fechadas, havendo funcionários para servir individualmente os hospedes. Para restaurantes e bares com espaços reduzidos, deve-se considerar a reserva antecipada de horários e serviço de quarto.

A prefeitura liberou, nos estabelecimentos, o uso de academias de ginástica, saunas, solários e espaços de descanso, que devem ser usados com agendamento prévio (hora marcada) e após o uso dos equipamentos ,os mesmos devem ser desinfetados por profissionais, conforme normas de limpeza. Além disso, a recomendação do Plano de Reabertura é que não sejam emprestadas cadeiras, guarda-sóis e equipamentos de lazer, com o objetivo de evitar aglomerações nas praias.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: