Cidades Ubatuba

Enfermeira é a primeira profissional de saúde a morrer de Covid em Ubatuba

A enfermeira Claudineia Tavares, de 54 anos, que trabalhava na Santa Casa de Ubatuba, é a primeira profissional da área da saúde a morrer pelo novo coronavírus na cidade. Segundo a prefeitura, 92 profissionais de saúde contraíram a doença desde o início da pandemia.

Ela estava internada em Caraguatatuba e sua morte foi confirmada na manhã desta quarta-feira(5). Claudineia era uma pessoa muito conhecida e querida na cidade e trabalhava há mais de 20 anos na Santa casa.

A morte de Claudineia sensibilizou os moradores de Ubatuba. Os médicos e enfermeiros da Santa Casa fizeram uma homenagem para a profissional. A direção do hospital publicou uma nota de pesar, lamentando a sua morte e os anos dedicados ao trabalho na Santa Casa. Moradores foram as janelas, ontem, para homenagear a enfermeira com uma salva de palmas.

Segundo informou a assessoria da Santa Casa de Ubatuba, a enfermeira após adquirir os sintomas da Covid-19 foi internada no estabelecimento. Como seu estado de saúde piorou acabou sendo transferida para o Hospital regional de Caraguatatuba, onde faleceu na noite de terça-feira.

Ainda segundo a Santa Casa, vários outros profissionais do estabelecimento adquiriam a Covid, mas apresentaram quadros leves ou assintomáticos, não havendo necessidade de internação.

Claudineia foi sepultada às 15 horas de ontem, no cemitério do centro da cidade, em caixão lacrado conforme determina os protocolos do Ministério da Saúde. Ela deixa três filhos e marido.

O prefeito da cidade, Délcio Sato, comentou sobre a morte de Claudineia. “Lamentamos cada vida perdida nesta batalha contra o Coronavírus. Hoje são 23 mortes em nossa cidade, vitimas da pandemia e nos solidarizamos com todas as famílias. Também podemos considerar vitoriosas 354 pessoas que foram curadas e seguem suas vidas. Mas, ontem recebemos a triste notícia do falecimento da enfermeira Claudineia Tavares de 54 anos, mãe de três filhos, com quase 20 anos de Santa Casa. Dedicada e considerada exemplar, Neia, como era chamada carinhosamente por todos, atuava na linha de frente salvando vidas e por fim foi mais uma vítima da COVID-19. Nossa parte estamos fazendo e hoje Ubatuba possui a estrutura necessária para o atendimento. São 70 leitos somados entre Santa Casa e Hospital de Campanha e destes 12 de UTI. Contamos com campanhas de orientação nas redes sociais e rádio local. Nossas fiscalizações de Postura e Vigilância Sanitária atuam praticamente dia e noite em pontos comerciais e praias para que todos obedeçam os protocolos, enfim, é importante que todos façam a sua parte!”, finaliza o prefeito.

Covid

Ubatuba registra 525 casos e tem outros 437 em investigação. Segundo a prefeitura, foram 23 mortes e uma ainda segue em investigação. Quinze pessoas seguem internadas, seis delas em hospitais de outros municípios.

O vírus tem infectado mais mulheres(286) do que homens(239). As faixas etárias mais atingidas pela doença são dos 30 aos 39 anos, 127 casos; dos 40 aos 49 anos, 116 casos; e, pessoas acima de 60 anos, com 100 casos. Os bairros com mais casos do novo coronavírus são: Centro, 66 caso; Ipiranguinha, 54; e Estufa II, com 45.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: