São Sebastião Turismo

Felipe Augusto recebe R$ 150 milhões do Ministério do Turismo para viabilizar marinas e aeroporto

O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, conseguiu obter com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, recursos na ordem de R$ 150 milhões, através do Prodetur(Programas Regionais de Desenvolvimento do Turismo), para viabilizar a implantação de marinas públicas e o home port em seu município.

Dos R$ 150 milhões, R$ 50 milhões serão utilizados em estudos para a implantação de um aeroporto no município. Segundo Felipe Augusto, serão feitos estudos para a construção de um aeroporto na Enseada ou em Barra do Una, na costa sul.

Segundo adiantou o prefeito, as marinas, o home port e o aeroporto não terão recursos do município, mas sim, da iniciativa privada através de PPPs(Parcerias Público Privadas).

“Fui muito bem recebido pelo ministro Marcelo Álvaro Antônio que entende que estamos no caminho certo para valorizar o turismo local e regional”, comentou o prefeito.

Felipe explicou que o aeroporto seria destinado a pequenas aeronaves e jatos para voos particulares ou charter(fretados). O aeroporto, segundo ele, é muito importante para o desenvolvimento do turismo regional.

Com a liberação dos recursos serão iniciados os estudos técnicos para a escolha da área destinada ao aeroporto e, posteriormente, os licenciamentos e a construção da pista através de uma PPP(Parceria Público Privada).

Com relação a implantação de uma marina pública e do homeport, Felipe Augusto, contou que os projetos estão bem adiantados.

“A primeira fase, da implantação da Marina, está bem adiantada e acredito que em 40 dias teremos a apresentação de projetos e propostas. Tudo indica que entre maio e abril abriremos a licitação, através de uma PPP, às empresas interessadas”, disse.

O prefeito deixou claro serão feitos todos os licenciamentos necessários, bem como, as audiências públicas, para a discussão com a população sobre os dois projetos.

Projetos

O home port é uma estrutura para embarcações de cruzeiros marítimos, que utilizam hoje o porto de Santos. No home port, os navios poderão ter serviços de reabastecimento, de manutenção, de carga e descarga e embarque e desembarque de passageiros.

A proposta é privatizar, ou seja, uma concessão por 30 anos, com pagamento de outorga para a cidade. Segundo o prefeito, assim que a licitação for concluída, a construção do home port deve levar de oito a dez meses.

O home port deverá ser instalado na Praia Grande, em frente ao Balneário dos Trabalhadores. No balneário, devem ficar o checking, o espaço de bagagem e o estacionamento, serviços necessários para o atendimento dos navios que irão atracar no local.

Com relação às marinas públicas, elas exigem 300 mil metros quadrados em espelho d’água e 200 mil metros quadrados em terra. Isso tudo integrado ao patrimônio histórico da região central, aos hotéis, restaurantes, bares e lojas instalados na região central. Existe ainda a possibilidade da construção de um centro de convenções.

Estão previstas três marinas públicas. Uma em frente a Rua da Praia, outra no Pontal da Cruz e outra no bairro de São Francisco. Segundo informou o prefeito, a marina da Rua da Praia já está em licitação. A marina do Pontal da Cruz, em fase de projeto. A do bairro de São Francisco estaria um pouco atrasada.

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.